sexta-feira, 21 de julho de 2017

Fotos Históricas

Fotos: Cacelain - A História do Futebol

Esporte Clube União Barra Funda – Ourinhos (SP): Uma edição no Paulista da 5ª Divisão de 1978

Lestinho Futebol Clube em 1965. Em pé: Butina - Carilo - Silvio Gordo - Cueca - Luiz - Malelo - Cacau - Gariba e Osvaldão. Agachados: Bafo - Devacir - Castelinho - João Batista - Gabiroba - Rolando - Canhoto e Aluizio.

O Lestinho Futebol Clube, do bairro da Água Rasa, Zona Leste da cidade de São Paulo, foi fundado na data de 1º de novembro de 1945.

Seus fundadores foram Dézio Guerra, José Preto, Antonio Guerra, José Pinheiro (Gariba), Albino Burion, José Ribeiro Miguel e Renaldo Esteves da Silva.

O Lestinho jogava no campo de futebol situado atrás do Cemitério Quarta Parada, onde também atuavam o Leste, o Leão do Norte, o Toledo Barbosa e o Redenção. Sua sede fica na Rua Florindo Brás, número 56.
O Lestinho Futebol Clube, na foto de Campeão invicto do Torneio Varzeano de 1958, no Estádio do Pacaembu. Em pé: Mané (massagista)- - Soneca - Cascão - Cueca - Alcides - Edgar - Pascoal e Singilo (técnico). Agachados: Nico Preto - Euclides - Mané - Paulinho e Nelsinho. A equipe vice-campeã foi a S.E.R. 7 de Setembro, do bairro Freguesia do Ó.


Foto Rara, de 1963: Associação Esportiva Jacarezinho, de Jacarezinho (PR).

Álbum “Varzeana Paulista”, anos 50/60: Clube Desportivo e Recreativo São José – Bairro: Ipiranga – Zona Sul – São Paulo-SP.

O Clube Desportivo e Recreativo São José, foi fundado na data de 13 de agosto de 1929. O nome São José deve-se ao fato de que a maioria dos integrantes do time trabalhava na fábrica de juta São José.

Quando da fundação, sua denominação era Clube Esportivo e Recreativo São José, tendo sido alterada sua nomenclatura posteriormente. O São José do Ipiranga possui diversas conquistas, dentre elas o honroso primeiro lugar obtido quando do torneio de inauguração do Estádio Municipal do Pacaembu no ano de 1940.

Hoje, sem o campo de futebol, que ficava na região da Rua Juntas Provisórias, o clube oferece outras recreações como bocha e xadrez, modalidades em que é associado às Federações Paulistas competentes. Sua sede está estabelecida na Rua Dom Lucas Obes, 510, no bairro do Ipiranga.


O Transporte Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Teresópolis, localizado na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. O clube Alvirrubro é uma das saudosas e gloriosas expressões do futebol teresopolitano e fluminense.

Fundado no domingo, do dia 27 de agosto de 1939, mesma data da inauguração de seu estádio, o Transporte foi idealizado por caminhoneiros que faziam frete em frente à Rodoviária de Teresópolis.

Em sua 1ª formação, o time era composto pelos seguintes atletas: Paiva, Waldir e José Granito, ajoelhados; Virgílio Zampini, Professor Eugênio Fraga, Alfredinho Tabira, Eduardo Nascimento, Lúcio Algorta, Pedro Jahara, o presidente do Clube José Barbosa, Picolé, Manoel Mande Teresduca e Jofre, o “Alfaiate”, de branco.

Entre outras conquistas, se sagrou bicampeão do Campeonato Citadino de Teresópolis, em 1953 e 1954, organizado pela Liga Teresopolitana de Desportos (LTD).

O seu campo ficava situado na Rua Darcí Menezes de Aragão, s/n, no Bairro da Várzea, à beira do rio Paquequer, onde surgiu depois a garagem da Viação Teresópolis.

O Transporte Futebol Clube, bicampeão de 1953-1954 da Liga Teresopolitana de Desportos (LTD). Escalação escrita atrás da foto: Zezé, Zé Luiz, Amado, Waltinho, Waldir, Geraldo, Milton, Agenor, Mestiço, Japonês e Tião Coquinho.

A competição mais expressiva aconteceu no ano de 1943, quando participou do Campeonato Fluminense, terminando na 9ª posição. A competição contou com a participação de 24 equipes:

Ferro Carril, de Uruguaiana (RS), em foto de 1931.

Rio Claro Futebol Clube, de Rio Claro (SP). Foto tirada por ocasião do seu 4º aniversário como campeão da Liga Rio Clarense de Foot-Ball e do 30º aniversário de sua fundação.

Foto Rara, de 1930: Estádio do Fluminense Football Club, do Rio de Janeiro.

 Equipes do Meridional e Lisboa, em foto de 1924.

O Meridional Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro. O “‘Clube da Camiseta Verde” foi fundado na quarta-feira, do dia 14 de Dezembro de 1921, por um grupo de desportistas, tendo a sua frente o ilustre general Tristão de Alencar, Abel Nunes e Raphael Rossi, entre outros.

A sua Sede ficava localizada na Rua Constante Ramos, s/n, no Bairro de Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O mando de campo não tinha um local fixo. Ora jogava no campo da Rua Dias Ferreira, s/n, no Bairro do Leblon (propriedade do Oceano Football Club), ora no campo de General Severiano, de propriedade do Botafogo Football Club (atual Botafogo de Futebol e Regatas).

Entre 1921 a 1927, o Meridional participou do Campeonato da Federação Brasileira de Esportes (FBEA). Em setembro de 1928, se filiou a Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA).

Time de 1923: Manequinho - Dantas e Gallo. Soda - Lima e Zoron. Jayme – Rogerio – Galdino - Rolla e Affonso.

Time de 1924: Armação (Annibal) - Vianna (João) e Dantas. Procópio - Cascardo e Euclydes. Pará (Lolico) - Carvalho (Cabral) - Careca (Janafa) - Zoror (Jovita) e Agostinho. 

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O primeiro rubronegro do Brasil


Adquiri recentemente o livro "E.C. 14 de Julho, primeiro rubro-negro do Brasil", de autoria do advogado e professor João Batista Conceição, torcedor ardoroso do chamado "Leão da Fronteira". 

O livro conta a história do clube, o terceiro mais velho do Brasil e traz uma riqueza de fotos que por si só valem a obra. E tomo a liberdade de publicá-las abaixo.


O 14 de Julho de todos os tempos. Ricardão - Luis Carlos - Barrada - Marcos Passarinho - Pantera - Escobar - Nei Savi - Canário - Bino - Castelhano e Wail Guedes.

O grupo de jovens que deu origem ao 14 de Julho, jogava às escondidas nos campinhos existentes nos arredores da cidade. Em pouco tempo disputava partidas contra times de Rivera, cidade uruguaia ao lado de Santana do Livramento.

Já havia por lá um outro time, chamado 3 de Maio, nome escolhido pois na época se acreditava que o Brasil havia sido descoberto nessa data. Em 1906, o time dos meninos venceu ao Rivera Futebol Clube, sendo esta a primeira vitória de um time brasileiro em jogo internacional.

E como a partida foi realizada no dia 14 de Julho, achou-se por bem de dar ao clube essa denominação, que foi sacramentada logo depois, com a fusão do 3 de Maio, surgindo então o Sport Club 14 de Julho.

Os fundadores foram Felizardo e Mirta Ávila, Rivarol Padilha, Carlos Syllia, Júlio Syllia, Manoel Brilhante, Silvio Acosta, Irmãos Guerra, Natal Boscacci, Perico Lay, Hector Garragorry, Irmãos Calero, Argemiro Zimmermann, Lycurgo Cruxen, Juan Caffone, Henrique Carballo, Hector Garri Aurélio, José Ramos e Coriolano Cabeda. Entre esses foi escolhido o primeiro presidente do clube, cabendo a honraria a Felizado Ávila.

Time de 1911. 

Time de 1917.

Em 1919 o 14 de Julho foi jogar em Porto Alegre contra o Internacional, a quem venceu por 6 X 2. O jornalista Izolino Leal, do jornal "Diário de Notícias", exaltou o feito do clube interiorano.

E lembrou que em 1914 o time rubro-negro havia derrotado o Peñarol, de Montevidéu, em jogo amistoso, quando recebeu o apelido de "Leão da Fronteira", que resiste até hoje.

Na foto acima: Em pé: Oscar Borba (presidente) - Costa - Irulegui - Orestes - Simão - Gil e Chone. Agachados: Zeca - Castelhano - Patulé - Parravichini e Rico.

Cipriano Nunes da Silveira, o "Castelhano", atacante, jogou no 14 de Julho de 1907 a 1929. Nesse tempo teve um ano de interrupção, quando em 1920 jogou no Santos, de São Paulo, chegando a Seleção Brasileira. 

O apelido ele ganhou em razão de seu modo de jogar, correndo, brigando pela bola e suando a camiseta, a moda uruguaia.


Esporte Clube 14 de Julho, campeão da cidade em 1924.

Esporte Clube 14 de Julho, campeão da cidade em 1928.

Cortes, Gomes e João Martins, baluartes do time na década de 1930. João Martins, que hoje dá nome ao Estádio do 14 de Julho, era militar e foi morto com um tiro no período da Revolução Constitucionalista.


Anos 40. Em pé: Chico Viola - Bouchacour - Corrêa - Dorico - Almir - Escobar e Nabuco. Agachados: Dirceo - Vail - Galego - Almerindo e Galo.


1951. Em pé: Ivo Winck - Ceu - Nilton - Wilson - Cacho e Zapata. Agachados: Joil - Horácio - Bino - Luiz Carlos e Toto.


1952. Em pé: Santana (massagista) - Wilson - Cacho  - Céu - Ivo Winck - Nilton - Toto - Maildo e Zapata. Agachados: Ivo Gomez - Joil - Horácio - Luis Carlos - Bino e Paulista.


Dirceu Ibaldo, o "Céu" foi um dos grandes valores do 14 de Julho.

Campeão Citadino de 1956. Luis Carlos, Canário, Bino, Guillerme Prates Dias, Nei Savi, capitão Rosauro de Oliveira, Ramos, Mandarino e Luis Alberto Aguirre.


Campeão Citadino de 1958. Em pé: Osmar - Nei Savi - Canário - Pichi - Trinidad - Bene e Cavalinho. Agachados: Sonha - Conrado - Luis Carlos e Bino.

Gitinha, Breno e Valmir, grandes valores do 14 de Julho.

1961, campeão regional. Em pé: Farinha - Breno - Diogo - Trinidad - Piti - Caçapava e Vieira. Agachados: Canário - Valmir - Gitinha - Luis Carlos e Bino.


Bino, seu filho Flávio e Trinidad.


Bino, quando recebeu o "Título de Cidadão Santanense", de mãos do vereador Luciano Camacho Mendes.

Time campeão de 1964. Em pé: Leomar - Breno - Sérgio - João Carlos - Marcos Passarinho - Adãozinho e Toto (massagista). Agachados: Geada - Boca-de-Leão - Luis Carlos e Odair.

1965, bicampeão da cidade. Em pé: Adáozinho - Marcos - Sérgio - Canário - João Carlos e Leomar. Agachados: Nicanor - Sonha - Luis Carlos - Boca-de-Leão e Odair (massagista).

1966 - Tricampeão. Leomar - Adãozinho - Vanderlei - Manoel - senhor Torres - Sérgio - Marcos - Ivanhoé - Canário - João Carlos e dirigentes. Agachados: Raul Farinha - Sonha - Nico - Clóvis - Nicanor - Bazzoti - Boca-de-Leão - Zoca - Odair e Bili.


Capitao Rosauro de Oliveira, o homem que construiu o pavilhão social no Estádio João Martins. Na foto ao lado de Luiz Escosteguy, engenheiro responsável pela obra.

O pavilhão social em obras.

Orivaldo Gomes, presidente do E.C. 14 de Julho, junto do capitão Rosauro de Oliveira, quando da inauguração do pavilhão social, em 6 de janeiro de 1972.


Renato Barros Neves, também conhecido por "Leão da Tribuna", foi um dos mais apaixonados torcedores do clube.


Ricardão, um dos grandes valores da história do 14 de Julho.


Anos 1970, amistoso contra o Grêmio Portoalegrense: Em pé: Clenir (14) - Eurico (GPA) - Huguinho (14) - Bolão (14) - Remi (GPA) - Getúlio Morelli (14) - Ancheta (GPA) - Ica (14) - Tadeo (GPA) - Vitor Hugo (GPA) - Jorge (14) e Ladinho (GPA). Agachados: Éder (GPA) - Bolo (14) - Tadeu Ricci (GPA) - Saca (14) - Claudinho (GPA) - Tourinho (14) - Tarciso (GPA) - Anilson (14) - Iura (GPA) e Coringa (14).


Neri Silva, o "Tourinho”, ponteiro esquerdo que marcou época no 14 de Julho.


O craque Bino e o cantor Nélson Gonçalves, que era filho de Santana do Livramento.

No ano de 1978, o 14 de Julho recebeu a visita do ilustre santanense Nelson Gonçalves, o "Boemio", e que para muitos foi consagrado como o maior cantor barsileiro de todos os tempos.

Na ocasiao, Nélson Gonçalves manifestou ser quatorzeano e fez questão de posar com uma faixa do rubronegro, que lhe foi ofertada pelo presidente do clube, à época, Ilo Alves da Silva.


14 de Julho em 1979. Em pé: Jorge Peres - Júlio Cesar - Pedra - Clenir - Bolão e Júlio Silveira. Agachados: Leopoldo - Sérgio Dutra - Retegui - Getúlio Rosário e Toninho Maravilha.

Time de 1982. Ano em que o clube completou 80 anos.


João Jamonot Apoitia, um dos grandes nomes da história do E.C. 14 de Julho.

Equipe de Juniores, campeã municipal em 1984.

Time de 1984. Em pé: Amilcar - Jairo - Remédi - Júlio César - Xavier - Odair - Helinho - Ricardão e Tacuarembó (massagista). Agachados: Alfredo - Itamar - Reteguy - Luiz Carlos - Próspero Silva e Edilson.

Jaime Camargo Azevedo, o "Canário", jogador histórico do clube.


1986. Em pé: Odair - Jairo - Remédi - Júlio César - Edilson e Túlio. Agachados: Carlos Ademir - Borges - Batista - Luis Carlos e Valmir.

Hilário Nicolini, foi o presidente que mais vezes esteve a frente do clube.


Ilo Alves da Silva foi tudo dentro do clube, de secretário a presidente.

Campeão estadual de Juniores, em 1992. Na foto Diretoria e Conselho Deliberativo do clube, com o troféu conquistado.


Comissão Técnica e atletas campeões estaduais de Juniores, em 1992.

Tiongo, jogador destaque no inicio dos anos 90.


1992. Em pé: Élton - Jairo - Renato Silva - Bolao - Damian Rodrigues e Pelego. Agachados: Tiongo - Clairton - Chiquinho e Sirica.

Noeli Guedes, o "Sonha".

2001. Em pé: Schepa - Cacaio - Leandro - Adão - Tiago - André - Felipe - Jeferson - Teco - Willian - Renato - Eurico e Cacareco. Agachados: Camacho - Walesko - Wagner - Eurico Neto - Júnior - Paulo - Micor e Flecha.

Luís Carlos Martins, o "Motorzinho".

1952. Ivo Gomes, Joil e Luis Carlos.

Túlio chegou a ser considerado pela imprensa como o melhor centro-médio gaúcho.

Em pé: Wilmar - Dico - Ivanhoé - Gilberto - Donga e Marcos. Agachados: Joaozinho - Érico - Saca - Zoca e Foguinho.

Time no final dos anos 1960. Em pé: Ivanhoé - Leomar - Valdir - Almerindo - Donga e Dico. Agachados: Tourinho - Oca - Perdomo - Miro e Wilmar "Mazui".

Time do início dos anos 1990. Em pé: Élton - Ricardo - Bolão - Careca - Renato - Silva e Vargas. Agachados: Ronaldo - Adão - Sapuca - Chiquinho e Sirica.

Equipe de 1937. Em pé: Marino - Rizzo - Grambel - Geraldino - Raul e Tom Mix - Agachados: Romeu - Eugênio - Garcia - Portugal e Anjinho.

Equipe campeã da cidade em 1929.