segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Um ex-goleiro de 105 anos

Saibam tudo sobre Fernando Ferreira Botelho, o "Fernandinho" primeiro goleiro profissional do Clube de Regatas Flamengo, do Rio de Janeiro, visitando o blog www.nilodiasreporter.blogspot.com

As fotos publicadas abaixo foram publicadas no site ww.historiadofutebol.com.br 


Em fevereiro de 2017, Fernandinho foi entrevistado pela lenda do rádio brasileiro, Deni Menezes.

 Em 2016, a comemoração dos 103 anos.

 Em 2014, a comemoração dos 101 anos.



  Em 2013 Zico comemorou 60 anos e “Fernandinho”, 100.


Fenandinho, sua esposa dona Alaís e o ator Thiago Lacerda, antes do Fla X Flu que marcou o centenário do clássico, em julho de 2012, no "Engenhão".


Em 2011, Fernandinho e o goleiro Felipe.

 Em 2006 recebeu homenagem do Presidente do Flamengo Márcio Braga.

Em 1936 o Olýmpico foi ao Paraná jogar contra o Ferroviário.

Olympico, em 1935.

Flamengo em 1934.

Em 1933, Fernandinho teve o privilégio de ir com o Flamengo para o exterior, e para entrar para a história do clube novamente, realizando suas quatro primeiras partidas internacionais fora do Brasil. Jogou duas vezes contra o Peñarol (foto), uma contra o Nacional e uma contra a Seleção da Argentina.

Jogadores do Selecionado Academico no Palace Hotel em janeiro de 1933, antes dos jogos com São Paulo e Corínthians. Em pé: Ivan Mariz (Fluminense) - Duval Ernani de Paula (Diretor do Futebol) - Ary Tenório Albuquerque (Jornal dos Sports) - Vicentino (Flamengo)- ??? e Luizinho (São Paulo). Sentados: Paulinho (Paulo Goulart de Oliveira do Botafogo) - Affonso (Botafogo) - Ariel (Botafogo) - Cássio (Flamengo) e Fernandinho (Flamengo)

A foto mais famosa do Flamengo de 1932, que foi publicada na revista "Placar", com os 50 melhores times do rubro-negro, Possivelmente seja do antepenúltimo jogo no Estádio da Rua Paysandu, contra o Carioca, vitória de 2 X 0, com gols de Nelson e Vicentino.

Em pé: Adelino (Baianinho) - Vicentino - Darci - Nelson e Cássio. Agachados: Rúbens - Flávio Costa e Luciano. Sentados: Moisés, com um mascote -  Fernandinho - Bibi e o mascotinho mais famoso da época. (Foto: www.historiadordofutebol.com.br)

1932. Em pé: Moisés - ??? - ??? – Fernandinho – Darci – Almeida - Rúbens e Luciano. Agachados: Bibi e o mascotinho do Flamengo - artilheiro Nélson – Adelino - Cássio e Vicentino.

Foto do jogo contra o Andarahy no dia 07 de agosto de 1932, onde o placar final foi Andarahy 2 X 2 Flamengo, no Estádio da Barão de São Francisco, no Rio de Janeiro-RJ, onde Darci e Nelson marcaram para o Flamengo.

Em pé: Milton Caldas (Diretor de Futebol) – Moisés - Fernandinho e Bibi. Agachados: Rúbens - Flávio Costa e Luciano. Sentados: Adelino – Vicentino – Darci - Nelson e Cássio.

Entrega de medalhas ao Flamengo, campeão do "Torneio Preparatório", de 1932

Jogo amistoso em 13 de março de 1932, em General Severiano: Botafogo 7 X 1 Flamengo. "Fernandinho" é o antepenúltimo na foto, de braços cruzados e camiseta clara.


O time da “Medicina E Cirurgia”, em 1932. (Foto: www.historiadordofutebol.com.br)


Dois grandes goleiros do Flamengo, Kuntz e Fernandinho. Nesse dia Kuntz fez seu último jogo oficial pelo Flamengo, com a idade de 34 anos. Era o dia 14 de junho de 1931, diante do São Cristóvão.

Foto dos jogadores do Flamengo antes de um treino, possivelmente no ano de 1930, no Campo da Rua Paysandu. Fernandinho ainda era goleiro do terceiro ou segundo quadro do Flamengo.

Escalação: Em pé: Milton Caldas (Diretor de Futebol) – Sem identificação - Sem identificação (atrás) - Sem identificação – Fernandinho - Sem identificação (atrás) - Sem identificação – Segreto - Flávio Costa (com as mãos nas costas dos companheiros agachados) - Sem identificação - Sem identificação e Fernandão. Agachados: Sem identificação - Sem identificação – Pinheiro - irmão do Moderato, sem o nome e Moderato (autor do gol do título Carioca de 1927).

Fernandinho no time juvenil do Flamengo em 1927.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Futebol de Flores da Cunha (RS)


A Associação de Pais e Amigos do Futebol de Flores da Cunha, conhecido popularmente por APAFUT é um Clube de Futebol profissional da Cidade de Flores da Cunha. O Clube surgiu da parceria entre a APAFUT de Caxias do Sul e Prefeitura Municipal de Flores da Cunha, em Novembro de 2015 para a disputa da Segundona Gaúcha de 2016.

A APAFUT é uma Associação surgida na cidade de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, em parceria com a Universidade de Caxias do Sul, que tem por objetivo a formação de atletas e cidadãos dentro do futebol. Realiza suas atividades na Universidade de Caxias do Sul na Vila Poliesportiva nos turnos da manhã e tarde, com as categorias de base de 5 a 17 anos.

Na parceria com a cidade de Flores da Cunha, clube disponibiliza estrutura de moradia para jogadores e comissão técnica, enquanto a Prefeitura cede a estrutura de treinos e o Estádio Municipal Homero Soldatelli para a disputa dos jogos.


Apafut em 2016. (Foto: Jornal "O Cancheiro", de àsso Fundo)

Apafut começou atividades em 2016. Mas não voltou em 2017. (Foto: Jornal "O Pioneiro", de Caxias do Sul)


Na aprersentação dos jogadores da Apatuf, em 2016, falou o empresário Fernando Otto. (Foto: Antônio Coloda, do jornal "O Florense", de Flores da Cunha)



Esporte Clube Rui Barbosa, da Linha 80, de Flores da Cunha, campeão municipal em 1979, 1984 e 2008. (Foto: Times do RS).


Alfredão, campeão municipal amador de 2017. (Foto: Alfredão Camp Nei F.C.)







Madruga Futebol Clube, 2017.

 Juniores do Madruga Futebol Clube, 2017.


Time da Capela São José, nos anos 1980. (Fonte: Blog "Fotos antigas de Flores da Cunha)



Esporte Clube São Cristóvão, em 1971, quando inaugurou um novo uniforme, em jogo festivo. Em pé: Agapito Devenz - Orfeu Conz - Jaime Costa - Odacir Otobelli - Itaci Ulian - Ari Otobelli e Nevile Conz. Agachados: Euclides Lucian - Pedro Vacari - Raimundo Costa - Eloi Marin - Moacir Mattana e Saturnino Brock (Tonico). (Foto: Arquivo de Nevile Conz)


Os mais antigos dizem que não teve melhor zagueiro que Nevile Con, em Flores da Cunha.


Funcionários da Fábrica de Móveis Florense fizeram um jogo de futebol para inaugurar o terno de camisas doado pela empresa em 1968. A partida foi realizada no antigo Estádio Municipal, hoje Homero Soldatelli. 

Na foto, estão Noemi Castellan - Leila - Luiz Dalsoglio - Valdeniar Zulian - José Guarese - Valdir Rosa - Pedro Costa - Dante Conz - Volmar Dalsoglio - Renato Dalsoglio - Agenor Bertokni - Sérgio Schiavenin - José Carlos Catafesta - Nabor Machado e Mário Costa. (Fonte: Blog "História do Futebol")


Primeira apresentação da equipe esportiva principal dos funcionários da Móveis Florense em 1968.

Inicialmente participava-se de torneios e jogos amistosos no interior de Flores da Cunha e cidades vizinhas.

Alguns anos depois foi disputado, por várias temporadas, o Campeonato Estadual de Amadores promovido pela Federação Gaúcha de Futebol.

Em pé: Euclides Ortigara - Moacir Costa - Sergio Schiavenin - Moacir Bertolini - Danilo Moresco - Gevaldino Rosa e Nevile Conz. Agachados: Euclides Machado da Silveira - Jaime Bassanesi - José Guarese - Adamar Varela - Hélio Machado da Silveira e José Rosa. (Foto: Arquivo pessoal de Nevile Conz)


Em 1966 funcionários da Moveis Florense e alguns amigos se juntaram para um jogo de futebol na comunidade de Nossa Senhora do Carmo, com duas equipes: principal e suplentes.

Na foto, vemos a equipe de suplentes, sem camisas, pois só foi obtido, por empréstimo, um jogo de camisas que foi utilizado pela equipe principal.


Em pé: Valério Curra - Remi Suzin - Ângelo Corradi - Gevaldino Rosa e Nevile Conz. Agachados: Adamar Varela - Alexandre Pedron - Jose Catafesta - Volmir Rezende - Luiz Dalsogio e Euclides Ortigara. (Foto: Arquivo de Nevile Conz)


O nome do time é "Paloma Futebol Clube", o "Papa Ovelhas". No Sul, é um hábito muito comum dar carneiros de prêmio nos torneios do interior, e este time já ganhou mais de 40.

Imagem da reportagem do time de Flores da Cunha, "Paloma, o Papa Ovelhas", que foi publicada na revista "Placar", de 9 de setembro de 1982:

Em pé: Luiz Carlos Bassanesi (preparador físico) - Jaime Pelin (técnico) - Nelson Zim - Alzir - Alex Curra - Roque Meneguzzo - Deoclides Triaca - Roberto Antoniazzi - Moacir Curra e Luis Zim (Presidente). Agachados: Olir Cavagnolli - Fa - Gerson Gros - João Sandi - Sebaldo Rodrigues - Luis Antonio Uliana (Kiko) - Régis Gros e Valdir Franceschet (Feio). (Foto: Arquivo de Luis Antônio Uliana)



O Grêmio Esportivo Otávio Rocha de Flores da Cunha foi fundado em 15 de agosto de 1958. Como é tradição, no final de setembro, sempre realiza uma festa de confraternização.


Atletas e Diretoria do clube no dia da fundação. Em pé: Walter Molon - Fiorindo Dalla Rosa - Nelcindo Manosso - Volmar Tadiello - Severino Trentin - Presidente Mansueto Galiotto e 1º Vice-Pres. Carlos Trentin. 2ª fila: Eremi Tadiello - Carlos Galiotto - Arlindo Molon - Sétimo Galiotto - Adriano Molon - Reinaldo Trentin e o massagista Armando Molon. (Foto: Arquivo de Floriano Molon)



Grêmio Esportivo Independente, sem o ano e sem identificação. (Foto: Arquivo de Francisco Boscatto)


Grêmio Esportivo São Luiz, em 1990. Clube foi fundado em 27 de março de 1954. (Fonte: "Colcha de Retalhos", no Facebook)

O time do Grêmio Esportivo São Luiz em 1966. Em pé: Orivil Antoniazzi - Angelirn Zamboni - Máximo Zamboni - Mateus Godoi - Orildo Coloda e
Lissinho Mascarello. Agachados: Roberto Mattioni - Joozinho Vanelli - Fausto
Baldissera - Ademar Carpeggiani e Moacir Bertohni. (Fonte: Jornal "O Florense")

Antiga sede do Grêmio Esportivo São Luiz. (Foto: Arquivo de Paulo Oliveira)



O Clube Esportivo e Recreativo Cruzeiro é uma agremiação do município de Flores da Cunha (RS). Um dos mais tradicionais clube da cidade, o Cruzeiro foi fundado no dia 6 de Janeiro de 1930, como Esporte Clube Cruzeiro.

O pontapé inicial foi dado por um grupo de voluntários, formado por Bortolo Cecconello, José Toigo, Antonio Marini, Vitório Toigo e Bortolin Boff. O primeiro campo de futebol localizava-se num terreno cedido por José Toigo, onde hoje está situada a Fábrica de Móveis Toigo.

Segundo a moradora Agnese Sandi, o local era um potreiro e os jogos aconteciam junto às pastagens dos animais. Já o segundo campo de futebol do Clube Cruzeiro foi construído ao lado da igreja atual, por volta da década de 1940.

Próximo ao campo estava localizada uma bodega onde os sócios do Cruzeiro costumavam se reunir. Como esta época o Clube não possuía sede, os encontros e reuniões ocorriam neste local, que pertencia a Mitra e abrigava ainda uma escola.

Em 1° de Janeiro de 1966, a entidade foi registrada oficialmente pelo então presidente Ivo Cecconello, sob o nome de Sociedade Cultural Esportiva Cruzeiro, com a finalidade de arrecadar fundos.

Nessa época, mais precisamente em 1969, o clube adquiriu um terreno para a construção do seu estádio atual. Segundo moradores “foi feita uma convocação para que todos os sócios fossem plantar a grama no campo e a comunidade participou em peso.”

Em 1969 o Estádio foi inaugurado com o nome de Nelson Gonçalves em homenagem ao presidente da construtora Pinheiro S.A, que na época realizou gratuitamente a terraplanagem do estádio. Anos depois o nome do Estádio foi mudado para CER Cruzeiro.

Começou ali o processo para a construção da sede própria do clube. A antiga sede onde os sócios se reuniam foi permutada com a Mitra e no lugar da antiga sede o clube construiu a atual.

No ano de 1975, fundou-se oficialmente o departamento feminino pelas sócias Salete Cecconello, Beatriz Ceconello e Vilma Marini. Esse departamento está em vigor até hoje.

Em 1980 a entidade oficializou seu nome como Clube Esportivo e Recreativo Cruzeiro. Nessa fase foram estabelecidos os estatutos e criados os departamentos perante uma assembléia extraordinária, onde o presidente da época era o senhor Orildo Colloda.